Menu

domingo, 26 de setembro de 2010

A Maldição do Fantasma da Ópera...

O Fantasma da Ópera é o musical que está há mais tempo em cena na Broadway, mais precisamente, há 20 anos. Sempre com casa cheia, o espectáculo reúne consenso quanto à sua qualidade da obra e dos artistas. Por tudo isso, acabou por ser a nossa primeira escolha para uma ida aos Musicais.
Mas sendo o Fantasma da Ópera conhecido como "a história de amor mais assombrosa do mundo", a nossa tarefa de chegar ao Majestic Theatre acabaria por revelar-se igualmente assombrada...
À chegada ao Lincoln Tunnel, percebemos que tínhamos de arranjar uma solução porque o trânsito estava completamente parado. O tempo ia passando e nós ali encurralados na faixa da direita... Tínhamos de atravessar pelo menos duas faixas para podermos mudar de direcção e ir apanhar o barco! Estivemos uma boa meia hora só para conseguir fazer essa proeza! Depois de umas quantas infracções, lá conseguimos seguir em direcção à estação dos ferry-boat. 
Enquanto o meu Mr. Big estacionava o carro, eu fui a correr comprar os bilhetes... De saltos!
Ainda tivemos de esperar pelo barco, mas lá fomos. Claro que, com o meu mau feitio e pessimismo característicos, eu já me tinha convencido de que já não ia conseguir ver o espectáculo. Ele, pelo contrário, que tem as fantásticas qualidades que a mim me faltam -paciência, persistência e optimismo - ia dizendo: "Entramos no intervalo, pelo menos vês a segunda parte". Eu ouvia isto e a minha vontade era atirá-lo ao rio... Lá chegámos a Manhattan, mas ainda tínhamos de chegar ao Teatro. Estávamos a alguns quarteirões de distância e o único táxi que conseguimos encontrar vago, recusou-se a levar-nos porque, segundo ele, o trânsito estava parado naquela zona da cidade. A única hipótese era ir a pé... E eu de saltos!
E finalmente chegámos... O espectáculo já tinha começado há coisa de quinze minutos, mas para meu enorme espanto deixaram-nos entrar! E até nos levaram aos lugares!
A verdade é que depois de estar dentro do Majestic Theatre, a viver pela primeira vez a experiência de ir a um musical na Broadway, valeu a pena correr, enervar-me, tudo! No intervalo, o senhor que estava ao meu lado, um americano na casa dos 60 anos, perguntava-me se eu estava a gostar. Eu disse-lhe que sim e que era a primeira vez que ia ver o Fantasma da Ópera. Para ele era já a quarta, é o seu musical favorito. 
É incrível, mas noite após noite, e aos fins-de-semana, também à tarde, aqueles artistas sobem ao palco e cantam, dançam, interpretam como se fosse o primeiro dia! É a magia da Broadway!

À espera do barco... As minhas trombas já chegavam ao outro lado do rio!

Durante o intervalo.

A veia artística do meu Mr. Big para a fotografia!

No final do primeiro Acto, este candelabro cai no palco. Claro que nos lembrámos logo da nossa amiga Irina, que tem pânico com qualquer coisa que possa cair do tecto!

À saída do Fantasma da Ópera, que coincide com o final de tantos outros musicais, o que deixa a Broadway completamente cheia de gente.
Pensavam que tinha acabado por aqui? Enganam-se... A maldição do Fantasma da Ópera manteve-se inoperante durante todo o jantar, que foi num sítio fantástico e do qual irei falar noutra altura, mas regressou já de madrugada, quando regressámos a New Jersey e ao parque de estacionamento da estação de ferrys. 
Pois parece que deviamos ter pago o parque logo quando comprámos os bilhetes de barco porque a tarifa é sempre a mesma... Claro que para nós, que estamos habituados a validar os cartões de estacionamento à saída, isto não fazia sentido nenhum, e nem sequer imaginávamos que assim fosse. Resultado, àquela hora o senhor da bilheteira que lá estava foi uma 'simpatia' (estou a ser irónica!) e despachou-nos para o segurança dizendo que ali já estava fechado... Lá fomos à procura do segurança, que nos despachou para o segurança do parque, usando as seguintes palavras "he's in that golf car, probably he's making is round". E eu pensei em voz alta: "Deve estar a fazer a ronda, deve... Deve é estar no golf a dormir!". Dois segundos depois, quando vi o carrinho a andar, percebi a parvoíce que tinha dito, afinal o golf car era mesmo um carro de golf e não um Volkswagen Golf! Claro que nos desatámos a rir, eu e o meu Mr. Big, porque ele, no seu inglês perfeito, estava farto de saber ao que é que o segurança se estava a a referir. 
Mas a história não acaba aqui! Era o primeiro dia de trabalho do segurança do parque de estacionamento e ele não fazia a menor ideia de como tudo aquilo se processava! Além disso, a tarifa do parque era 10 Dólares, nós só tínhamos notas de 20 e ele não tinha troco!
Ele lá nos deixou sair do parque, com a nossa palavra de que iríamos arranjar forma de destrocar dinheiro e trazer-lhe os 10 Dólares. Foi assim que, na mesma noite em que fomos ver o Fantasma da Ópera, acabámos num 'Diner', aqueles bares/restaurantes manhosos à beira da estrada que estão abertos 24 horas por dia, a beber um copanázio de Coca-Cola e a tecer comentários maldosos sobre as pessoas à nossa volta...
E, por fim, lá fomos levar o dinheiro ao segurança,que já devia estar a pensar que nós nunca mais lá voltariamos e que seria despedido logo no primeiro dia de trabalho! 
A isto eu chamo, carinhosamente, de 'A Maldição do Fantasma da Ópera'...

4 comentários:

Andreia Agostinho disse...

Mary!! Adoro musicais e o Fantasma é mesmo o meu preferido. Já realizei o sonho de o ver em Londres, no palco original, mas continua o bichinho de o ver na Broadway :)

Verita disse...

Brutal!!!

Foi uma noite em cheio, com todas as peripécias incluídas ;)

Só gostava de saber um pouco mais do espectaculo em si. Gostaram? Esteve à altura das expectativas???

bjs

Mary disse...

Olá Verita! Respondendo à tua pergunta, gostei muito do musical. Não sendo o meu tipo de espectáculo favorito, esteve totalmente à altura das expectativas! Os cenários, o guarda-roupa, a qualidade dos artistas e da orquestra... Tudo muito bom! A história em si, confesso, não me impressiona. Estou curiosa para ir ver o Rei Leão e o Billy Elliot, que acho que fazem mais o meu género. Optámos pelo Fantasma da Ópera por ser o mais famoso e o que está há mais tempo em palco. Acho que, apesar de ser um espectáculo dispendioso, vale a pena ver. Quem vem a Nova Iorque deve, sem dúvida, tentar ir a um musical! Obrigada também por todas as palavras simpáticas em relação ao blog. Tenho tentado actualizar quase todos os dias, mas às vezes é difícil, sobretudo ao fim-de-semana. Beijinhos!

Diana disse...

LOL... demais!

adoro o teu blog, que já acompanho há algum tempo, e, agora que estou de férias, decidi ler do principio ao fim lol

para mais, agora estás na minha cidade, e adoro seguir-te as pegadas lol ou seja ir a um ou outro sitio recomendado por ti.

adoro, continua please!, e gosto muito tb de assistir ao vosso amor (tu & mr. big!) acho uma delicia♥

bjs