Menu

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Quero ser jornalista! Pode ser ou 'tá' difícil?!

Está... Está muito difícil... 
A menos que me volte a sujeitar a estágios não remunerados escandalosos, que ainda são as únicas "ofertas" que aparecem nesta área! 
Ah... Esperem... Afinal nem para isso tenho "habilitações"! É que para concorrer a esses anúncios vergonhosos é preciso ser-se recém-licenciado e eu já passei essa fase há algum tempo.
Parece-me que nos tempos que correm, fazer o que se gosta deixou de ser uma ambição e passou a ser uma mera utopia, ou um grande golpe de sorte.
Ainda me lembro do que me motivou a querer ser jornalista. Queria ter uma profissão que me trouxesse novos desafios todos os dias. Sonhava ter um trabalho dinâmico, que me arrancasse da secretária sempre que possível.  Ironicamente, agora passo o dia sentada em frente a um computador e a gastar, não o meu latim, mas o meu inglês.
Apesar de ter duas irmãs professoras, sempre considerei que não tinha grande queda para o ensino e por isso nunca pensei enveredar por essa área. Quando cheguei ao mercado de trabalho, descobri que gostava realmente do jornalismo, da luta diária com as palavras, da magia da televisão e da estaleca que nos dá a imprensa. 
Aprendi mais num ano de estágios do que em todo o curso! Aprendi que a objetividade é, muitas vezes, uma grande treta. Descobri que, outras tantas vezes, os interesses económicos se colocam à frente do jornalismo sério e que o 25 de Abril não pôs fim a todos os tipos de censura. Mesmo assim, continuei "apaixonada" pelo jornalismo, apesar de todas as falhas e defeitos que lhe fui encontrando. 
Depois do jornalismo, surgiu a oportunidade de trabalhar em comunicação, desde a gestão de sites, à produção de vídeos, passando pela elaboração de newsletters, escrita de histórias infantis, organização de eventos... Que grande escola! Foram perto de 3 anos muito intensos, durante os quais a minha criatividade foi posta à prova inúmeras vezes! Muitas ideias tirei eu das mangas... Mas depois de muitas batalhas ganhas lá acabei por perder a guerra - não passei aos quadros. 
No entanto, "há males que vêm por bem" e passado pouco tempo estava de malas aviadas para Nova Iorque! Oh yeah!... O que perdi em termos de carreira ganhei em amor, e isso não tem preço! São "acasos do destino" como este que me fazem acreditar que "what goes around, comes around" e que afinal nada acontece simplesmente por acaso. 
Agora, de volta a Lisboa, nem sequer me posso queixar! É que no meio de tanta crise até tive a sorte de arranjar logo trabalho! Há que ver o lado positivo, não é?! 
Mas o que eu queria mesmo era voltar a ter aquela sensação de gostar do que faço e ir trabalhar contente da vida todos (ou quase todos) os dias! Quem sabe o que isso é com certeza que me compreende.
Mas parece que os meus sonhos profissionais (e de grande parte das pessoas da minha geração) estão hipotecados... Espero que seja por pouco tempo! Quero mesmo acreditar que a minha oportunidade está aí a chegar e que um dia vou voltar a ir trabalhar com vontade e não apenas porque tem de ser...
Há por aí quem sinta o mesmo que eu? Vá lá... Não se acanhem... 
Roubado na net, da autoria de Banksy.

15 comentários:

CG disse...

A oportunidade vai chegar de certeza amiga!! :)

Nicole disse...

Um dia será o teu dia. Eu já tive um emprego seguro que mandei à vida (não só porque não tinha nada a ver com aquilo para que tinha estudado mas por outras razões mais graves...) e este ano "against all odds" jurei que ia ser o ano em que me iria atirar de cabeça na procura de fazer aquilo que corresponde exactamente ao que estudei...A ver vamos mas não vou baixar os braços:)
Toda a sorte do mundo!:))

S* disse...

Lamento... Mas eu acho que com luta, garra e motivação vais conseguir!

Fashionista disse...

Adorei o desabafo! A realidade é complicada! Força!

Life Inc disse...

Costumo passar por aqui mas acho que nunca tinha comentado. Hoje é o dia! É engraçado que o teu post reflete exatamente aquilo que já venho sentindo há algum tempo, alguma desilusão pelo fato de a minha profissão - arquitecta - se ter revelado menos do que o que estava à espera. Menos desafiante, muito mais burocrática e dependente de modas e interesses económicos. Ainda não desisti mas em vias de ficar desempregada vou ter de refletir se vou mudar de área...

xoxo
cindy

Mikas disse...

Ser jornalista não está nada, mas mesmo nada fácil. Onde trabalho os despedimentos são diários já para não falar em outras situações mais ou menos precárias que vivemos dentro da empresa. E quando tentas arranjar alguma coisa, aquilo que queres mesmo não consegues, porque és ultrapassado por alguém que se sujeitou a ser «escravo» (porque é o que os estagiários não-remunerados e não-curriculares são).

Boa sorte, mesmo! Vamos precisar.

Joana Laranjinha disse...

Maria, nunca percas a esperança, acredita que o destino moverá montanhas para te levar ao que pretendes. Até lá, aproveita tudo o que tens de bom na tua vida neste momento e sê feliz. :)

Pipita de Chocolate disse...

Isto não está mesmo nada fácil...nos dias que correm temos de nos agarrar ao que aparece e estamos sempre com a "corda ao pescoço" pois a próprias empresas estão em situações precárias...Eu deixei um emprego que podia ser para a vida, estava efectiva e tudo, mas ir atrás de alguma coisa que me satisfizesse verdadeiramente. E não me arrependo pois já mudei de trabalho nos entretantos e tenho aprendido imenso. No início do verão fiquei desempregada, a crise foi a razão, e sinceramente ainda bem que aconteceu! No espaço de 1 mês arranjei logo emprego, que tem uma vantagem maravilhosa: viajar! É juntar o útil ao agradável e tem me dado a possibilidade de ir a sítios que nunca imaginei conhecer! Não percas a esperança e procura muito! A maior parte das vezes é um golpe de sorte! Olha sabes o que te digo, um dia que tenha filhos mando a vocação deles à fava (força de expressão!) e proíbo-os de seguir letras ou artes! LOL

Beijocas

Miss Pippa disse...

Como te entendo, Maria.
Mas, a acrescentar à tua situação, eu ainda tive o azar de, depois de ter uma experiência parecida à tua, em que deixei tudo pela pessoa com quem estava há anos e anos, perceber que afinal o meu amor de príncipe tinha pouco, e vi o meu casamento acabar de um dia para o outro.
E não há nada pior do que recomeçar sozinha.
Já para não falar de que dificilmente recupero o que perdi a nível profissional nos últimos 3 anos.
Mas, assim como tu, eu também quero acreditar que "what goes around, comes around".
E o nosso dia há-de chegar!

C. disse...

gostei do teu blog. vou-te seguir!

Mary disse...

Obrigada a todas pelos comentários! É bom saber que há por aí realidades mais positivas. Quanto às que estão a passar pelo mesmo que eu, um grande boa sorte para todas! O nosso lugar ao sol há-de aparecer!
Beijinhos a todas!

Czarina disse...

Tu pelo menos ja tiveste na area sabes o que e isso de ir trabalhar contente...eu nunca consegui entrar e como acabei com bolonha nao tive estagio e nunca fui contente pra o trabalho...pregunto-me muitas vezes se valeu a penar tirar um curso superior e gastar tanto dinheiro.
Em relaçao a ti boa sorte na procura e que tudo te corra como esperas.

Rabbit disse...

Bom, tu conheces bem a minha historia. N acho que devas desistir dos sonhos, mas chega a uma altura na vida que temos de reavaliar o que e sonho e o que e teimosia (sem acentos...sorry. Eu sempre quis ser jornalista desde o dia em que aprendi a primeira letra.
Depois de 10 anos de profissao achei que ou optava por tr uma vida decente ou continuava nesta palhacada que e o jornalismo em portugal. E sabes que mais? Descobri outras paixoes, outros sonhos e outras coisas que quero fazer e que me desafiam tanto ou mais que o jornalismo. So tenho pena de ter esperadi ate aos 31 para perceber isso. Pesquisa. Pensa profissionalmente nas pequenas coisas que gostas de fazer. Vais ver que num instante crias outros caminhos. Boa sorte miuda!

Luna Tic disse...

neste país tudo está difícil...

ângelasousa disse...

Força! Vais conseguir*